Chapecoense ajuíza ação com pedido de indenização por seguradora e governo boliviano

Chapecoense ajuíza ação com pedido de indenização por seguradora e governo boliviano

Mais de duas mil pessoas foram às ruas da cidade de Chapecó, em Santa Catarina, nesta madrugada (29) para prestar homenagens às 71 vítimas fatais do acidente aéreo envolvendo a delegação da Chapecoense em 29 de novembro de 2016.

No dia em que a tragédia com o voo da Chapecoense completa um ano, o clube anunciou que entrou com um pedido de indenização contra a BISA Seguradora e órgãos do governo boliviano, que não foram especificados. Em seguida, foi iniciada uma vigília, que será concluída com a missa de um ano do acidente, às 18h30 desta quarta. A Bisa é a seguradora contratada pela LaMia, que alega que os pagamentos da companhia aérea não estavam em dia e que a mesma não cumpriu cláusulas previstas em contrato.

A seguradora também alegava que seu contrato com a empresa de aviação não previa voos para a Colômbia, onde ocorreu a tragédia.

Torcedores e familiares dos mortos acompanharam a cerimônia religiosa. No entanto, um acordo foi sugerido para que cada família recebesse 200 mil dólares, sendo que a conta do valor do apólice dividida pelas 76 famílias ultrapassa a casa dos U$ 320 mil.

As famílias das vítimas receberam velas verdes, que simbolizam a vida que nunca acaba.

A Chapecoense comunicou nesta quarta-feira que ajuizou pedido de indenização por parte da Bisa Seguradora e órgãos do governo da Bolívia.

Informações mais detalhadas serão enviadas aos familiares das vítimas, associações de familiares e ao público em geral após reunião do Conselho Gestor da ACF a se realizar no próximo dia 1.12.2017.

Artigos relacionados