Chape vai à Justiça e pede indenização da seguradora da LaMia

Chape vai à Justiça e pede indenização da seguradora da LaMia

Nesta quarta-feira, 29/11, a tragédia aérea envolvendo jogadores, dirigentes, comissão técnica e convidados da Chapecoense completa um ano. O time catarinense também informou que órgãos bolivianos estão sendo processados, embora não tenha especificado quais são eles. A ação foi ajuizada na quarta Vara Cível da Comarca de Chapecó, nesta quarta-feira. A BISA Seguradora alega que a La Mia não cumpria com os pagamentos previstos e justamente por isso a apólice acordada não estava em vigência. Após o acidente, duas associações foram criadas para auxiliar os parentes das vítimas com o caso: a Associação dos Familiares e Amigos das Vítimas (AFAV-C) e a Associação Brasileira das Vítimas do Acidente com a Chapecoense (ABRAVIC). A empresa ainda tentou um acordo de US$ 200 mil (aproximadamente R$ 650 mil) com os representantes das vítimas -sem sucesso. "Esses valores ultrapassam o valor individual designado pela seguradora Biza e pode recair sobre a Chapecoense - contratante da Lamia e da Lamia - transportadora, que tem como obrigação levar os passageiros sãos e salvos ao destino", explica João Tancredo. Além do seguro, há também o pedido de indenização medido pela extensão do dano, que nada mais é do que a multiplicação do valor que cada profissional recebia por mês pela expectativa de vida do mesmo.

No entanto, deixou claro que a ação requer a condenação e o pagamento de indenizações pelos danos causados em 29 de novembro do ano passado.

Informações mais detalhadas serão enviadas aos familiares das vítimas, associações de familiares e ao público em geral após reunião do Conselho Gestor da ACF a se realizar no próximo dia 1.12.2017.

Artigos relacionados