Catalunha: Milhares de independentistas manifestam-se em Bruxelas

Catalunha: Milhares de independentistas manifestam-se em Bruxelas

- O ex-presidente da Generalitat Carles Puigdemont disse nesta quinta-feira, durante o encerramento da manifestação independentista em Bruxelas, que "a Catalunha é a melhor face da Europa".

Desde a convocatória em 1 de outubro na Catalunha de um referendo de autodeterminação proibido pela justiça espanhola, a UE considerou essa crise política como um assunto interno da Espanha e expressou seu respeito à legislação espanhola e ao governo central de Mariano Rajoy. A Òmnium Cultural e ANC convocaram a grande marcha em nome também dos presos políticos - os seus líderes, os Jordis, Sánchez e Cuixart, continuam presos em Madrid, apesar de alguns ex-ministros terem recentemente saído em liberdade condicional -, mas o móbil essencial foi o de dizer que o independentismo catalão é também, e inerentemente, europeísta.

"Têm medo de um juiz belga, de que vos diga a verdade", lançou o ex-ministro catalão Antoni Comín, que se viu livre, com Puigdemont e quatro outros responsáveis, dos mandados de captura internacionais, cancelados pelo Supremo, por receio de que a conversão à lei de Bruxelas atenuasse os alegados crimes dos independentistas.

Com esse objetivo, a marcha cruzou o bairro europeu, percorrendo 2,5 quilômetros que passa pela sede da Comissão Europeia até terminar na praça Jean Rey, nas imediações da Eurocâmara e do Conselho Europeu. Segundo as autoridades belgas são esperadas cerca de 50 mil pessoas, um número que poderá vir a ser superior mas com o qual a organização não se comprometeu. A contagem oficial da polícia era de "45 mil manifestantes", segundo sua conta no Twitter.

A presença de catalães é significativa na capital belga.

Artigos relacionados