Portugal vê exonerações com "respeito escrupuloso pela soberania" — Angola

Portugal vê exonerações com

Além de Isabel dos Santos, o Presidente angolano, "usando dos poderes conferidos pela Constituição da República de Angola, tomou a decisão de exonerar" Eunice Carvalho, Edson dos Santos, Manuel Lino Carvalho Lemos e João Pedro dos Santos dos cargos de administradores executivos, bem como Sarju Raikundalia, até agora administrador não executivo.

"Há apenas uma maneira de evitar críticas: não faça nada, não diga nada, e não seja nada", partilhou Isabel dos Santos na sua conta oficial do Instagram, depois de ter sido afastada pelo presidente angolano do conselho de administração da petrolífera Sonangol.

Esta foi uma medida tomada por João Lourenço que acabou por ser bem vista pelos ativistas angolanos que sempre se opuseram ao governo de José Eduardo dos Santos.

No Twitter, em inglês e modo irónico, Luaty perguntou a Isabel dos Santos como é que se sentia por ter sido despedida, acrescentando ainda que, por esta altura, "já se devia habituar" a esta condição de desempregada.

Líder da Angola exonera filha do ex-presidente de cargo em estatal petroleira

As exonerações de ontem aconteceram no dia em que Lourenço cumpria 50 dias no poder e foram antecipadas por um alerta do presidente no sábado, nos 42 anos da independência.

Para já, sobrevive José Filomeno dos Santos, outro filho do ex-presidente, que mantém a tutela do Fundo Soberano de Angola (FSDEA). Nessa altura referiu "os inúmeros obstáculos no caminho que queremos percorrer".

Os dois principais partidos da oposição, UNITA e CASA-CE, consideram que as exonerações recentes "não surpreendem" e já eram "de esperar".

O MNE português, Augusto Santos Silva, afirma que Portugal segue "com respeito escrupuloso pela soberania de Angola" as reformas em curso, no âmbito das quais o novo presidente exonerou dezenas de responsáveis de empresas públicas.

Artigos relacionados