PF investiga se Sérgio Cabral financiou dossiês contra Marcelo Bretas

PF investiga se Sérgio Cabral financiou dossiês contra Marcelo Bretas

Uma investigação sigilosa da Polícia Federal (PF) apura se o ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, teria um fundo milionário para financiar investigações contra o juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Criminal Federal, e procuradores do Ministério Público Federal (MPF) no Rio de Janeiro.

No dia 23 de outubro, o ex-governador citou informações sobre a família do magistrado durante uma audiência. As informações foram reveladas com exclusividade pelo Jornal Hoje, da TV Globo, nesta quarta-feira, 8.

Bretas é o juiz que cuida das investigações ligadas à operação Lava Jato no Rio. Além dos acessos, uma denúncia que vem de dentro do presídio onde Cabral está preso, na zona norte do Rio, aponta que o ex-governador estaria financiando a montagem desses dossiês.

Requisitada a prestar informações sobre o caso, a Secretaria de Segurança Pública do Rio informou em relatório à PF que um inspetor da 22ª DP, na Penha, fez pesquisas no sistema interno da Polícia Civil em busca de anotações criminais nos nomes de Bretas e de sua mulher, a também juíza Simone Bretas.

Segundo o advogado Rodrigo Roca, que defende o ex-governador, trata-se de "uma mentira criada com nítido propósito de criar intriga entre o ex-governador e o magistrado, para incitá-lo a determinar nova transferência para um presídio federal".

A investigação da PF segue em sigilo, para garantir a integridade física dos integrantes da força-tarefa da Lava-Jato no Rio.

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Gilmar Mendes, contudo, barrou a transferência.

Artigos relacionados