Grêmio conquista Taça Libertadores pela terceira vez

Grêmio conquista Taça Libertadores pela terceira vez

Renato Gaúcho alcançou um feito inédito no país ao conquistar a Libertadores como técnico do Grêmio, na noite desta quarta-feira, 24 anos depois de vencer o mesmo campeonato como atacante do tricolor do Rio Grande do Sul. Depois do triunfo por uma bola na primeira mão da final, a equipa brasileira foi ao terreno adversário vencer por 1-2.

Desta maneira, Renato Portaluppi, de 55 anos, só esteve ausente na conquista da América em 1995 e no retorno a Porto Alegre reivindicará a estátua que pediu antes de viajar para a segunda partida da final, em Buenos Aires.

Apesar de ter a vantagem no placar, o Grêmio jogou como se precisasse buscar o resultado. Esta foi a quinta final do time no torneio e seu terceiro título. De forma objetiva e tranquila, o tricolor conseguiu realizar uma partida ainda melhor do que jogou em casa na última semana.

Fernandinho e Luan marcaram ainda no primeiro tempo para os visitantes. Cícero marcou na Arena no primeiro jogo.

Ao arrebatar a Taça Libertadores, o Grêmio, vencedor da Taça Intercontinental em 1983, segue diretamente para as meias-finais do Mundial de clubes, nas quais defrontará o Pachuca, do México, ou o Wydad Casablanca, de Marrocos, a 12 de dezembro.

Com esta conquista, Renato Gaúcho entrou para o seleto grupo de agora oito integrantes que conseguiram vencer a Libertadores tanto como jogador e treinador, onde estão Humberto Maschio (Racing e Independiente), Roberto Ferreiro (Independiente-ARG), Luis Cubilla (Peñarol e Nacional-URU e Olimpia-PAR), Juan Martín Mujica (Nacional-URU), José Omar Pastoriza (Independiente-ARG), Nery Pumpido (River Plate e Olimpia-PAR) e Marcelo Gallardo (River Plate). Renato foi o primeiro brasileiro a se tornar campeão da Liberta como jogador e treinador defendendo a mesma camisa.

Artigos relacionados