FDA aprova primeiro medicamento nos EUA com rastreamento digital de ingestão

FDA aprova primeiro medicamento nos EUA com rastreamento digital de ingestão

O medicamento Abilify MyCite (aripiprazole), usado para tratar transtornos mentais como esquizofrenia e depressão em adultos, tem um sensor acoplado ao remédio que grava se a medicação foi tomada ou não.

Tudo isso é feito por uma espécie de adesivo, que é colado no corpo do paciente, e que detecta a ingestão da pílula - que conta com um sensor feito de materiais encontrados em uma comida "normal".

O adesivo recebe o sinal de quando a pílula é ingerida e, através de um modem Bluetooth, repassa essas informações ao smartphone do paciente.

Além de informações como data e hora, o sensor informa também alguns dados de atividade fisiológica da pílula, que podem ser úteis para um melhor entendimento do tratamento. A ideia é que familiares e médicos possam ter acesso aos dados, mas com permissão do paciente.

Porém a FDA informa que não foram apresentadas provas suficientes que mostre que o dispositivo aumente a adesão às terapias.

"Ser capaz de monitar a ingestão de medicamentos prescritos para a doença mental pode ser útil para alguns pacientes", declarou em nota Mitchell Mathis, diretor da Divisão de Psiquiatria do FDA.

O medicamento conta com um sensor interno que permite aos médicos controlarem se os pacientes tomam seus remédios de maneira correta.

Chamada de Abilify MyCite, a pílula foi desenvolvida pelas emrpesas norte-americanas Otsuka Pharmaceuticals e Proteus Digital Health. A aprovação da tecnologia foi feita baseada em seu potencial.

O FDA adverte que pode haver um atraso ao liberar a informação, por isso não deve ser usado para rastrear a ingestão de drogas em tempo real. Não pode ser usada em situações de emergência ou outras ocasiões que precisam de informações rapidamente. Um outro ponto é que, se associado ao uso de antidepressivos, o medicamento pode induzir o surgimento de pensamentos suicidas.

Artigos relacionados