Facebook pede "nudes" aos usuários para combater vazamentos

Facebook pede

O Facebook começou a testar uma nova proposta para combater a pornografia da vingança: pediu aos usuários que mandem nudes para a companhia.

Essas imagens que a rede social pretende recolher serão marcadas e, desse modo, de divulgação automaticamente proibida, não só no Facebook, como também no Messenger e no Instagram. O sistema vai identificar o material quando algum internauta tentar republicá-lo e impedir a operação. Caso você não saiba, pornô de vingança é "o ato de expor publicamente, na internet, fotos ou vídeos íntimos de terceiros, sem o consentimento dos mesmos, mesmo que estes tenham se deixado filmar ou fotografar no âmbito privado". Em muitos casos, isso é feito com objetivo de atingir ex-parceiros (as). Para isso, compartilhará o material com a rede de Mark Zuckerberg pelo Messenger - aplicativo de mensagens do Facebook, cujo material não aparece ao público - e ficará resguardada. O passo seguinte é o envio das imagens ao Facebook por meio do Messenger - em paralelo, a empresa é notificada pelo governo quanto ao envio, que será recebido por uma analista responsável pela marcação do conteúdo.

"Nós vemos tantos casos em que, talvez, as fotos e os vídeos foram feitos de forma consensual na época, mas que não houve consentimento para enviar mais amplamente", conta Julia à rede australiana.

Internautas interessados em aderir ao teste, segundo o jornal O Globo, devem preencher um formulário no site da comissão governamental e descrever o contexto da ameaça. De seguida, cada imagem é transformada numa impressão digital única, que permitirá bloquear qualquer tentativa de fazer um novo upload do mesmo conteúdo por parte de outra pessoa.

Segundo o Instituto de Pesquisa Dados e Sociedade, cerca de 4% de usuários americanos são vítimas deste tipo de pornografia. Na faixa de mulheres do país até 30 anos, a taxa sobe para 10%.

Artigos relacionados