Eurico vence nas urnas, mas futuro presidente do Vasco depende da Justiça

Eurico vence nas urnas, mas futuro presidente do Vasco depende da Justiça

- Não sei nem o que vão impugnar.

Em pleito encerrado apenas na madrugada nesta quarta-feira, em São Januário, a chapa "Reconstruindo o Vasco", liderada pelo atual presidente vascaíno, Eurico Miranda, venceu a disputa para garantir ao polêmico dirigente mais um mandato à frente do clube. Entretanto, a presença de 474 sócios que votaram sob suspeita de irregularidade, em urna que teve vitória do atual presidente, levará a decisão da eleição para a Justiça.

Com pouco mais de cinco horas para o fim da votação, os dois candidatos de oposição declararam união para tentar derrotar o presidente Eurico Miranda nas eleições do Vasco.

Foram, no total, sete urnas. Os votos? Está bom, mas baseado em quê?

O candidato recebeu, ao longo do dia, o apoio de Fernando Horta, que também concorria ao pleito. Ele teve 2111 votos, contra 1975 de Julio Brant. Já na urna 'suspeita', o presidente teve quase 400 votos a mais que Brant. Porém, uma urna com 475 votos será analisada pela Justiça. "Torcedor do Vasco, para você ou quem quer que seja: veja o resultado da eleição e veja quem é que tem que comemorar". O resultado está aí.

"No caso de a chapa obtiver margem de votos superior aos colhidos na urna em separado, os votos acautelados poderão ser descartados e promulgado o resultado da eleição; no caso de a chapa vencedora obtiver margem de votos inferior aos colhidos na urna em separado, a mesma deverá ser lacrada e entregue ao responsável nominado em Juízo", determinou a desembargadora Márcia Ferreira Alvarenga, da 17ª Vara Cível. Só isso... O resultado da eleição é que a chapa 'Reconstruindo o Vasco' ganhou. "Me considero presidente do Vasco", afirmou o candidato.

"A situação foi tão bizarra que a Justiça vai decidir muito rápido. Vai ser uma decisão fácil da Justiça, que vai anular aqueles votos e o Vasco seguirá uma nova vida a partir de 2018.", disse o otimista Julio Brant. Todas as urnas foram parelhas, só houve uma que teve mais de 90% de votos para um candidato. Para ele, caberá à oposição tentar anular o resultado. Sendo assim, houve comemoração para ambos os lados.

Artigos relacionados