Botijão de Gás de cozinha sofre novo reajuste

Botijão de Gás de cozinha sofre novo reajuste

Desta vez o aumento será de 4,5% nas refinarias. Em Alagoas, segundo o presidente da Associação dos Revendedores de Gás de Alagoas (Argal), Laedson Ferreira Soares, o botijão passa a ser vendido por até R$ 85. "Isso afeta em cheio o trabalhador assalariado, pois ele faz mais comida em casa do que qualquer outra classe social", avalia. Por outro lado já há famílias com renda mais baixa usando fogueira para cozinhar já que as despesas com luz, gás, supermercado vão consumindo o salário do trabalhador cada vez mais como. O aumento irá valer para botijões de até 13 kg.

Desde que a companhia mudou sua política de preços para o GLP (gás liquefeito de petróleo, o gás de cozinha), em junho, a Petrobras já anunciou cinco aumentos consecutivos e apenas uma redução. O último aumento, de 12,9%, entrou em vigor no dia 11 de outubro deste ano. Se for integralmente repassado aos preços ao consumidor, a companhia estima que o preço do botijão de GLP P-13 pode ser reajustado, em média, em 2,0% ou cerca de R$ 1,21 por botijão, isso se forem mantidas as margens de distribuição e de revenda e as alíquotas de tributos.

"O reajuste foi causado principalmente pela alta das cotações do produto nos mercados internacionais, influenciada pela conjuntura externa e pela proximidade do inverno no hemisfério Norte", afirmou a estatal. "A variação do câmbio também contribuiu". O ajuste anunciado foi aplicado sobre os preços praticados sem incidência de tributos.

No dia 30 de outubro, a estatal divulgou um aumento para o GLP, acima de 13 quilos, que são mais usados pelo comércio de um modo geral e também indústrias, sendo que o aumento foi de 6,5%.

Artigos relacionados