19 pessoas infectadas pelo surto de legionella 05 Novembro 2017 — Lisboa

19 pessoas infectadas pelo surto de legionella 05 Novembro 2017 — Lisboa

Pelas 176:30, Graça Freitas, diretora-geral de Saúde, confirmava a existência de 18 casos, 17 confirmados laboratorialmente no próprio hospital e um 18º caso comm "ligação epidemiológica ao Hospital de São Francisco Xavier", mas que foi diagnosticado numa unidade de saúde privada, onde se encontra internado.

Graça Freitas deixou uma mensagem de tranquilidade face a este novo foco de "legionella", afirmando que "é causada por uma bactéria que é muito frequente na Natureza".

"Depois de contactar o ministro da Saúde, o Presidente da República deslocou-se esta noite ao Hospital de S. Francisco Xavier para se informar sobre os casos de legionella surgidos nos últimos dias", lê-se numa nota publicada no site da Presidência. "Dos casos aqui, no São Francisco Xavier, um já teve alta, e os outros estão estáveis, sendo que dois estão em unidades de cuidados intensivos", disse Graça Freitas.

Por essa razão, a diretora-geral de Saúde garante que "não se trata de um acontecimento extraordinário".

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, já foi ao Hospital de São Francisco Xavier para obter mais informações sobre o surto de Legionella que infetou já 19 pessoas e que foi divulgado na noite de sexta-feira, pela Direção Geral da Saúde através de comunicado.

Desde terça-feira, foram diagnosticados 19 casos de legionela com ligação ao Hospital São Francisco Xavier.

"Na sequência da investigação epidemiológica, de forma a avaliar a situação, recolheram-se amostras em vários pontos dos circuitos de água do Hospital de São Francisco Xavier".

Hoje à tarde, um novo comunicado da DGS elevava para 15 o número de casos, "na sua maioria, idosos com factores de risco associados".

A Direção-Geral de Saúde acrescenta que, temporariamente, os doentes urgentes mais graves destinados ao Hospital de São Francisco Xavier vão ser reencaminhados pelo INEM para outras instituições hospitalares, de forma a facilitar a implementação das medidas de controlo. "Pelo princípio da precaução foram tomadas as medidas adequadas para interromper a possível fonte de transmissão". "A infeção, apesar de poder ser grave, tem tratamento efetivo", esclarece aquela entidade. A infecção passa por via aérea (respiratória), através da inalação de gotículas de água (aerossóis) contaminadas com bactérias. Não se verifica o contágio de pessoa para pessoa.

Artigos relacionados