Veja as prováveis escalações das equips para o jogo — Palmeiras x Cruzeiro

Veja as prováveis escalações das equips para o jogo — Palmeiras x Cruzeiro

Palmeiras e Cruzeiro protagonizaram um duelo eletrizante, principalmente no segundo tempo, na noite desta segunda-feira (30) no Allianz Parque, pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro, que terminou com o empate em 2 a 2.

Segundo colocado na tabela do Brasileirão 2017, empatado com o Santos, terceiro colocado, ambos com 53 pontos, o Palmeiras fará de tudo para conseguir a vitória sobre os mineiros, pois o atual líder, o Corinthians, com 59 pontos, tropeçou neste fim de semana no jogo contra a Ponte Preta e não conseguiu a vitória, tão quanto o Santos não conseguiu os 3 pontos sobre o São Paulo. Os dois rivais se enfrentam no próximo domingo, um jogo importante para as pretensões alviverdes de buscar o bicampeonato do Brasileiro. Ironicamente, a partida marcou o encontro do Palmeiras com o técnico Mano Menezes, seu preferido para 2018 - o cruzeirense decidiu permanecer no clube mineiro. Foi um erro fatal. Diogo Barbosa recebeu lançamento pela esquerda, avançou até a linha de fundo e cruzou.

Embora não tenha diminuído o entusiasmo da torcida, o gol deixou o Palmeiras afobado dentro de campo. O técnico Alberto Valentim reclamava da lentidão na transição, da defesa ao ataque. Sobraram cruzamentos na área. Pois, foi exatamente o oposto: o Verdão trocou o desespero pela paciência, e passou a tocar a bola com ciência e uma dose exata de volúpia, até chegar ao empate, com Borja colhendo rebate do goleiro Fábio, em jogada trabalhada a partir de Moisés a Egídio, que cruzou para o disparo aparado de Dudu: 1 a 1.

Foi a senha para que o estádio incendiasse o time e começasse a gritar "Time da virada". A diferença foi que, diante do Cruzeiro, as finalizações foram mais certeiras. O Cruzeiro resolveu sair para o jogo e Arrascaeta obrigou uma boa defesa de Fernando Prass logo aos três minutos. Buscando mais efetividade no ataque, Mano Menezes trocou o atacante pelo meia Robinho. Com o espaço proporcionado pelo rival e a bola nos pés, o Cruzeiro fez o que faz de melhor: tocou a bola. Com Deyverson no lugar de Keno, sinal da mudança de estilo de jogo, trocando a bola no chão pelos cruzamentos, o Palmeiras continuou abafando o Cruzeiro. O empate veio ainda no primeiro tempo, com Miguel Borja.

Artigos relacionados