Em nova denúncia, Funaro diz que Temer recebeu R$ 2,5 mi

Em nova denúncia, Funaro diz que Temer recebeu R$ 2,5 mi

O doleiro Lúcio Funaro afirmou nesta terça-feira (31/10) que o presidente Michel Temer recebeu propina de R$ 2,5 milhões em propina do grupo Bertin.

De acordo com informações do UOL, Funaro chegou a se emocionar durante a audiência, realizada na 10ª Vara Federal de Brasília no último domingo (27). Teria comparecido também o deputado Cândido Vaccarezza, à época no PT e ativo na campanha presidencial.

Funaro afirmou ainda que ex-deputado Eduardo Cunha "quem comandava a distribuição de propina".

"O presidente Michel Temer contesta de forma categórica qualquer envolvimento de seu nome em negócios escusos, ainda mais partindo de um delator que já mentiu outras vezes à Justiça", diz parte do trecho.

De acordo com Funaro, os recursos tiveram origem na aprovação de um financiamento negociado entre executivos do grupo Bertin, o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e do ex-deputado Cândido Vaccareza. O doleiro acrescentou que acreditava que o repasse a Temer teria ocorrido por meio de doações oficiais ao diretório nacional do PMDB.

Segundo Funaro, nesses encontros foram combinados os valores que seriam destinados às campanhas do PMDB, em troca de benefícios às empresas do grupo Bertin na Caixa.

"Então, se você quebrar o sigilo telefônico, vão ter pouquíssimas ligações com o deputado Eduardo Cunha", disse o doleiro, cuja delação embasou parte da segunda denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR), por organização criminosa e obstrução de Justiça, contra o presidente Michel Temer e os ministros Moreira Franco e Eliseu Padilha. Ele corroborou declarações anteriores de houve repasse do empresário Natalino Bertin para Temer.

Artigos relacionados