SAD do Benfica anuncia resultado líquido de 44,5 milhões de euros

SAD do Benfica anuncia resultado líquido de 44,5 milhões de euros

O relatório de contas revelou, ainda, que o ativo aumentou 29,6 milhões, dos 476,4 para os 506 milhões.

Este é "o melhor desempenho de sempre" da SAD encarnada, pode ler-se no comunicado divulgado esta terça-feira pela Comissão do Mercado dos Valores Mobiliários (CMVM).

No balanço entre gastos e receitas com a transacção de atletas, o Benfica obteve um ganho de 58,9 milhões de euros, quase o dobro do registado na época anterior (30,1 milhões de euros). O resultado líquido equivale a um crescimento de 118,4%. O valor supera os 20,4 milhões, obtidos na temporada anterior, e representa o maior lucro de sempre da equipa dos encarnados. Há contudo uma outra situação, que diz ser distinta e que tem que ver com os empréstimos obrigacionistas, que são de 151,5 milhões de euros (aumentou 59,3 milhões), pois "não está sujeito a um reembolso de pressões externas".

Os rendimentos operacionais (excluindo transações de direitos de atletas) ascendem a 128,2 milhões de euros, o que representa um crescimento de 1,7% face ao período homólogo, sendo este crescimento principalmente justificado pelo aumento das receitas decorrentes do contrato celebrado com a NOS, que entrou em vigor no presente exercício, e que permitiu compensar o natural decréscimo de rendimentos originado pelo facto de não se ter alcançado os quartos-de-final da Liga dos Campeões, o que sucedeu em 2015/2016. No que respeita ao grupo SLB, foram comunicados 285 milhões de euros em relação aos 236 de 2015/16. O dinheiro a receber com as transferências de jogadores engordou a rubrica clientes e devedores para 49,7 milhões de euros, bem mais que os 6,24 registados em Junho de 2016. Este item contrasta com a redução do passivo em 3,8%, sendo agora de 438,3 milhões de euros.

Uma das promessas do presidente do clube, Luís Filipe Vieira, passa precisamente pela redução do passivo do clube, que tal como no caso do activo, é o mais elevado entre os clubes portugueses.

Já sobre os capitais próprios, esses são positivos e situam-se nos 67,7 milhões.

A Sociedade chama ainda a atenção para o facto de, "à exceção do primeiro exercício (2000/2001), no qual a Benfica SAD ainda apresentava um rácio do capital próprio vs capital social de 50,9%, a Sociedade nunca esteve em condições de cumprir o estipulado no artigo 35º do CSC, dado que desde a sua constituição a Benfica SAD teve de assumir a responsabilidade de várias contingências de gestões passadas e teve de efetuar importantes investimentos que permitissem recuperar a credibilidade e a capacidade competitiva do Benfica". Soares Oliveira destacou que essa dívida "diminuiu em 88,9 milhões de euros", sendo agora de 125,5 milhões.

Artigos relacionados