Sérgio Cabral é condenado a 45 anos de prisão

Sérgio Cabral é condenado a 45 anos de prisão

O ex-governador do Estado do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, foi condenado a 45 anos e 2 meses de prisão além de multa na noite desta quarta-feira (20). Além de Cabral, a sentença do juiz Marcelo Bretas também condena outras 11 pessoas por participação no esquema. Essa é a segunda condenação do ex-governador. O ex-governador do Rio já havia sido condenado na Lava Jato, a 14 anos de prisão, e é réu em mais 12 processos judiciais.

Adriana Ancelmo foi condenada a 18 anos e três meses de prisão pelos crimes de lavagem de dinheiro e de pertinência à organização criminosa.

O advogado Rodrigo Rocca também declarou que "a condenação do ex-governador pelo juiz Marcelo Bretas já era esperada, todo mundo sabia disso, e tanto sabia disso que nós já vínhamos preparando recurso de apelação para os órgãos de jurisdição superior, onde os ânimos são outros e a verdade tem mais chance de sobrevivência". O militar, também julgado por Bretas, foi condenado a 43 anos de prisão.

A decisão se refere a processo que trata de propinas pagas pela empreiteira Andrade Gutierrez por obras no Rio de Janeiro, além de lavagem de dinheiro por meio de aquisição de joias e do escritório de advocacia da ex-primeira-dama Adriana Ancelmo.

Wagner Jordão foi condenado a 18 anos e 2 meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e associação criminosa em regime fechado. Neste caso, a ex-primeira-dama havia sido absolvida.

Sérgio Cabral é acusado de usar a sua gestão como governador do Rio de Janeiro para montar um esquema criminoso que desviava recursos de contratos firmados entre o governo e empreiteiras que teria movimentado mais de R$ 200 milhões.

No depoimento da Operação Calicute, a primeira vez em que ficou cara a cara com Bretas, o ex-governador repetiu a estratégia adotada quando foi ouvido pelo juiz Sergio Moro e não respondeu às perguntas do juiz ou do MPF. De acordo com a Procuradoria, há provas de pagamento de ao menos R$ 7,7 milhões.

Artigos relacionados