Pyongyang tinha Guam em mente ao lançar míssil, afirma ministro japonês

Pyongyang tinha Guam em mente ao lançar míssil, afirma ministro japonês

De acordo com a TV, o lançamento ocorreu por volta das 7h dessa sexta-feira (15) - por volta das 19h desta quinta-feira (14) no horário de Brasília.

"A China apoia as resoluções do Conselho de Segurança da ONU para adotar novas reações e medidas necessárias em resposta ao sexto teste nuclear feito pela Coreia do Norte", apontou em coletiva de imprensa o porta-voz de Relações Exteriores chinês, Geng Shuang.

Pouco após o disparo, os militares norte-americano afirmaram terem detectado um único míssil balístico de alcance intermediário, mas que este não representa uma ameaça à América do Norte ou a Guam, situado a 3.400 quilômetros da Coreia do Norte.

Este é o "voo mais longo de seus mísseis balísticos", comentou no Twitter Joseph Demsey, do Instituto Internacional de Estudos Estratégicos (IISS) com sede no Reino Unido.

"Essas provocações repetidas por parte da Coreia do Norte são inadmissíveis, e protestamos nos mais fortes termos", afirmou Suga.

O Exército da Coreia do Sul informou nesta quarta-feira que realizou com sucesso seu primeiro exercício de fogo real com mísseis de cruzeiro de longo alcance, em uma manobra na qual simulou bombardeios a instalações importantes na Coreia do Norte. Por isso, o país entrou em alerta vermelho. "Está passando um míssil, está passando um míssil, provavelmente sobre Hokkaido em direção ao Pacífico".

No fim de agosto, outro lançamento também sobrevoou o arquipélago e o equipamento caiu no mar, dividindo-se em três pedaços.

Agora, lançamento acontece um dia depois de a Coreia do Norte ter ameçado que iria afundar o território japonês e de ter defendido que os Estados Unidos da América deveriam ser "espancados até à morte como um cão raivoso".

Em Julho, aquele país asiático já tinha realizado dois disparos de ICBM. Um dos artefatos percorreu 250 quilômetros, uma distância suficiente para atingir, em tese, o local de onde partiu o míssil norte-coreano em Sunan, perto do aeroporto de Pyongyang.

Artigos relacionados