Pyongyang ameaça Washington com 'maior dos sofrimentos'

Pyongyang ameaça Washington com 'maior dos sofrimentos'

Na sexta-feira, a missão dos Estados Unidos para a ONU anunciou que Washington convocaria uma reunião do Conselho de Segurança da ONU para votar em um novo projeto de resolução que deverá aumentar as sanções à Coreia do Norte.

Num comunicado reproduzido pela agência de notícias oficial norte-coreana, KCNA, o Ministério dos Negócios Estrangeiros adverte que se Washington "avançar com esta 'resolução' ilegal sobre um endurecimento das sanções, a Coreia do Norte assegurará que seja absolutamente certo que os Estados Unidos paguem o preço".

"O mundo será testemunha de como a Coreia do Norte dobra os gângsteres americanos lançando uma série de ações mais duras do que se possa imaginar".

O Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Norte alertou na segunda-feira (hora local) que vai retaliar usando "meios finais" se o Conselho de Segurança das Nações Unidas adotar a nova resolução que imponha sanções mais duras contra Pyongyang.

O último teste nuclear norte-coreano ocorreu em 3 de setembro, após Pyongyang lançar 14 mísseis balísticos no decorrer de 2017, dois deles intercontinentais.

Há uma semana, a Coreia do Norte fez seu sexto teste com um míssil nuclear. "Se a nossa participação em negociações for desejada, eu direi sim imediatamente", disse.

Merkel disse também que uma solução diplomática é a única maneira viável de resolver a crise.

Artigos relacionados