Produção industrial na zona do euro avança em julho

A produção industrial da zona do euro teve leve recuperação em julho após uma queda acentuada em junho, impulsionada principalmente por investimentos corporativos e bens de consumo duráveis, mostraram dados do escritório de estatística da União Europeia, Eurostat, nesta quarta-feira.

No primeiro trimestre de 2017 a taxa de emprego tinha aumentado 0,5 por cento nas duas áreas europeias.

Em ambos os casos (comparação em cadeia e evolução homóloga), a prestação de Portugal situou-se acima das médias da Zona Euro (0,4% em cadeia e 1,6% na comparação anual) e da União Europeia (0,4% em cadeia e 1,5% em termos anuais).

Na zona do euro, influenciou no resultado da indústria o aumento de 0,8% na produção de bens de capitais e de 0,7% em bens de consumo duráveis, além do incremento de 0,5% em bens intermediários.

Entre os 24 Estados-membros para os quais há dados disponíveis, Portugal registou a maior subida em cadeia (1,9%), seguindo-se a Irlanda (1,8%) e a França (0,6%).

Apesar de a alta ser leve, os números da produção foram bons para o crescimento do bloco de 19 países na segunda metade do ano, uma vez que o aumento foi causado principalmente pelos bens de capital, confirmando o otimismo das empresas.

Artigos relacionados