Polícia Federal apura fraude nas Olimpíadas do Rio de Janeiro

Polícia Federal apura fraude nas Olimpíadas do Rio de Janeiro

A Polícia Federal faz buscas nesta terça-feira (05), contra o presidente do Comitê Olímpico do Brasil (COB), Carlos Arthur Nuzman. Arthur Soares está sendo acusado transferir através de sua empresa a quantia de US$ 2 milhões em propina para Papa Massata Diack, filho de Lamine Diack, determinada pelo ex-governador Sérgio Cabral. Também é investigada a compra de votos para que a cidade do Rio de Janeiro fosse escolhida sede das Olimpíadas 2016. O empresário Artur de Menezes e Eliane Cavalcante, são alvos de mandado de prisão.

Em mais uma etapa das investigações da Lava Jato, o Ministério Público Federal (MPF) e a Polícia Federal, começaram as buscas contra suspeitos de terem participado do esquema de compra de votos na decisão da cidade do Rio de Janeiro como sede das Olimpíadas de 2016.

Os mandados judiciais foram expedidos pela 7ª Vara Federal Criminal, no Rio, e estão sendo cumpridos em endereços nos bairros do Leblon, Ipanema, Lagoa, centro, São Conrado, Barra da Tijuca, na zona sul, e do Jacaré, na zona norte, e no município de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, em Paris, na França, e em Miami (EUA).

Os presos serão indiciados por corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

As investigações, iniciadas há nove meses, apontam que os pagamentos teriam sido efetuados tanto diretamente com a entrega de dinheiro em espécie, como por meio da celebração de contratos de prestação de serviços fictícios e também por meio do pagamento de despesas pessoais.

Artigos relacionados