Papa pede que seja rejeitado todo o tipo de violência — Venezuela

Papa pede que seja rejeitado todo o tipo de violência — Venezuela

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. No domingo (10), o pontífice celebra em Cartagena a última missa antes de voltar a Roma. É importante sua visita neste momento histórico que o país vive, já que se trata da reiteração do apoio ao processo de conversações, entre o governo Nacional e as FARC-EP, para pôr fim a um conflito armado de mais de cinquenta anos.

"Se a Colômbia quer uma paz estável e duradoura, tem que dar um passo urgente" na direção "do bem comum, da equidade, da justiça, do respeito à natureza humana e a suas exigências".

Disse que "vem orando por todos os filhos e filhas dessa amada nação da Venezuela" e fez um "chamado a todos para que rejeitem a violência política e rezem por uma solução a essa grave crise, que atinge a todos, mas especialmente aos mais pobres e aos mais desfavorecidos".

O Vaticano apoiou as tentativas de diálogo entre Maduro e seus adversários políticos, paralisadas desde antes de o presidente venezuelano apoiar a instalação da Assembleia Constituinte, que rege com plenos poderes desde 4 de agosto.

A polícia posicionou milhares de agentes para manter a ordem no caminho e evitar incidentes como os ocorridos nos dias prévios em Bogotá, Villavicencio e Medellín, quando algumas pessoas atravessaram o caminho do papamóvel para tentar tocar Francisco. Francisco perdeu o equilíbrio e sofreu ferimentos ligeiros na face e na sobrancelha esquerda, quando passava pelo bairro de San Francisco, na cidade de Cartagena, onde abençoou a construção de moradias populares.

"Este é um bairro de esquecidos".

De fato, sempre que um Papa faz uma visita oficial, é um motivo para uma grande festa, mas também alguma confusão.

"Me deram um soco", brincou o papa sobre o acidente.

Após o atendimento no local machucado, o Papa Francisco seguiu seu trajeto até a praça central de San Francisco.

O Vaticano afirma que o líder máximo da Igreja Católica foi assistido com gelo e prosseguiu a visita.

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

Artigos relacionados