Montepio suspende negociação em bolsa, compra de unidades remanescentes arranca sexta-feira

Montepio suspende negociação em bolsa, compra de unidades remanescentes arranca sexta-feira

Com a conclusão da OPA a Mutualista dá mais um passo decisivo na abertura de capital do banco a outros parceiros do sector social, nomeadamente a Santa Casa da Misericórdia.

Sem adiantar mais detalhes admitiu que o banco tenha capacidade de gerar capital pelo que não procura investidores apenas em função da capacidade financeira.

Segundo os resultados divulgados esta segunda-feira, em sessão especial de bolsa, os mutualistas gastaram 44,2 milhões de euros para financiar esta operação, a que se junta um investimento - não revelado - feito na aquisição paralela em bolsa de unidades de participação durante o período em que decorreu a oferta. Até ao final da semana serão concluídos os procedimentos legais para a transformação desta instituição numa sociedade anónima. Depois da conversão da instituição em sociedade anónima e da extinção do fundo de participação, o Montepio passará a controlar 99,7% da CEMG.

Associação Mutualista Montepio atingiu um total de mais de 393 milhões de UPs, ou seja, 98,3% da totalidade do Fundo de Participação da CEMG (considerando as UPs detidas antes da OPA).

O Montepio começou a sair da Bolsa de Lisboa. A ordem permanente de compra estará em vigor desde o dia seguinte ao registo comercial da transformação até à publicação da decisão da CMVM sobre o requerimento de perda da qualidade de sociedade aberta da CEMG, a apresentar após a Assembleia Geral de Acionistas da CEMG.

A Associação Mutualista é o topo do Grupo Montepio e tem como principal empresa subsidiária a CEMG, que desenvolve o negócio bancário. Uma exclusão que está, no entanto, condicionada ao registo comercial da transformação da Caixa Económica Montepio Geral em Sociedade Anónima (previsto para esta quinta-feira, 14 de Setembro).

Artigos relacionados