Ministério Público investiga compra de casa de Medina

Ministério Público investiga compra de casa de Medina

"Eu percebi quem era a proprietária no momento em que adquiri a casa".

O Ministério Público está a investigar a compra de uma casa na Avenida Luís Bívar por Fernando Medina, o presidente da Câmara Municipal de Lisboa.

A denúncia foi remetida ao Departamento de Investigação e Acção Penal de Lisboa.

Segundo a revista Sábado, a casa pertencia e foi vendida por um elemento da família Teixeira Duarte, que controla a construtora com o mesmo nome, à qual foram adjudicadas pela autarquia obras como a recuperação do Miradouro de São Pedro de Alcântara.

As primeiras notícias sobre a compra da casa, pelo Observador, davam conta de que Medina tinha declarado ao Tribunal Constitucional (TC) um sinal de 220 mil euros pelo imóvel, mas não actualizou a sua declaração de património com o valor restante da transacção quando efectivou a compra da casa em Setembro de 2016.

Nas suas declarações, o autarca admitiu ainda ter pago "um preço acima do solicitado pela agência" e ter comprovado que o preço pago "é superior à média praticada naquela zona para imóveis equivalentes e totalmente em linha com os imóveis que foram transacionados naquele prédio".

Também aqui, na declaração que publicou no site da sua campanha, Fernando Medina rebate as acusações, ao dizer que atualizou, em agosto do ano passado, a declaração do Tribunal Constitucional, dando conta do contrato-promessa celebrado e da forma como o iria liquidar. "Por ser impróprio, irreal e absurdo", sustentou o presidente da Câmara de Lisboa, que concorre pelo PS a novo mandato. Nesta tabela, surgem os preços a que a TDF - Sociedade Gestora de Fundos de Investimento Imobiliários do grupo Teixeira Duarte - vendeu 10 apartamentos e as duas segundas compras.

Depois de referir que recorreu ao crédito bancário para a compra do imóvel de 645 mil euros, Fernando Medina reiterou: "É com enorme sentido de repúdio que vejo o que está a ser feito nesta campanha, com base em denúncias anónimas, que alimentam uma falsidade para me tentar atingir na minha honra e bom nome".

Questionado pelo i sobre se os dados foram solicitados à Teixeira Duarte, Fernando Medina esclareceu que resultaram de ter consultado pessoalmente "as escrituras, da mesma forma que vários órgãos de comunicação social o fizeram, depois de ida às conservatórias". Antes de o autarca ter adquirido o duplex, tinha havido uma revenda, mas de uma fração de 73m2 à qual não é possível fazer corresponder o valor inicial de venda. Já o "Observador" noticiou que a casa dos sogros de Medina foi adquirida em 2010 por 650 mil euros, mais cinco mil euros que o valor pago pelo autarca e a mulher em 2016.

Artigos relacionados