Mercado financeiro aumenta projeção para o PIB e reduz para inflação

Mercado financeiro aumenta projeção para o PIB e reduz para inflação

O resultado ficou abaixo do piso das estimativas do mercado (de 0,22% a 0,47%). Para 2018, a previsão do mercado financeiro para a inflação recuou de 4,18% para 4,15% na última semana.

O aumento da projeção para o PIB ocorre após o avanço da economia no segundo trimestre do ano. De acordo com o boletim Focus, uma publicação divulgada toda segunda-feira no site do Banco Central (BC), a expectativa para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB, a soma de todos os bens e serviços produzidos no país), foi ajustada de 0,5% para 0,6% este ano, no terceiro aumento consecutivo.

Na quarta-feira, o Copom anunciou o corte de 1 ponto porcentual da Selic, de 9,25% para 8,25% ao ano. Para 2018, a projeção saiu de 7,50% para 7,25%.

As estimativas para os dois anos permanecem abaixo do centro da meta de 4,50%, que deve ser perseguida pelo BC.

Entre os cinco economistas que mais acertam em suas projeções - o chamado "top 5" -, no cenário de curto prazo, as projeções para a inflação caíram para 3,01% neste ano (0,3 ponto percentual abaixo da última estimativa) e 4,02% no ano seguinte (0,2 ponto percentual abaixo das projeções da semana anterior). Pelo câmbio, não houve alteração nas projeções: R$ 3,18 e R$ 3,30 para o dólar em 2017 e 2018. Para o índice suavizado nos próximos 12 meses, a expectativa saiu de 4,19% para 4,14%. Em 2018, o crescimento deve ser de 2,10%, enquanto na semana passada os agentes de mercado esperavam uma alta de 2,0%. O #dólar sofreu revisões para baixo em apenas R$ 0,01 (1 centavo de real) para os meses de setembro (reajuste de R$ 3,16 para R$ 3,15) e outubro (revisado de R$ 3,18 para R$ 3,17). Para a Selic, o grupo Top 5 conservou a previsão de 7% para 2017 e 2018.

Artigos relacionados