LC: Pepe admite emoção no Dragão, mas recorda o seu profissionalismo

LC: Pepe admite emoção no Dragão, mas recorda o seu profissionalismo

Saiu há dez anos do Dragão e volta agora com a camisola do Besiktas. Se esta tradição turca é para manter é o que vamos saber mais logo à noite, quando o árbitro inglês Anthony Taylor der como finalizado jogo que dá o tiro de partida para a 22.ª participação do FC Porto na mais prestigiada prova mundial de clubes. "Aprendi muito nesse clube, em vários aspetos, mas com a experiência que já tenho, espero poder estar tranquilo, fazer o meu trabalho como sempre fiz para poder ajudar a minha equipa", explicou. "Vivo aqui, a minha mulher é daqui e isso diz tudo", acrescenta o defesa central de 34, sobre a sua ligação emocional ao emblema azul e branco.

Pepe assumiu, esta terça-feira, que o jogo de quarta-feira frente ao F.C.Porto, no Estádio do Dragão, terá um sabor especial.

"Vai ser especial para mim e para o Quaresma".

De resto, o único ausente foi Diogo Dalot, jovem lateral direito que continua entregue a António Folha, no FC Porto B. Por isso, O JOGO pediu-lhes para traçarem o perfil do primeiro adversário dos dragões na Liga dos Campeões, o Besiktas. Se o meu treinador optar por me escolher, vou lutar pelo meu clube.

"Vai ser um jogo bastante complicado para nós".

O avançado Hélder Barbosa só chegou agora ao mesmo clube e considera que "a chegada do Pepe, uma figura muito importante, trouxe maior estabilidade e segurança", mas, mesmo assim, aponta o FC Porto como favorito para o jogo de amanhã. "Já passei essa mensagem aos meus companheiros e o treinador já chamou a atenção para isso", disse. "Tentei aproveitar o melhor possível, sendo o melhor profissional e sendo correto".

Artigos relacionados