Furacão Irma volta a ganhar força e é elevado para categoria 5

Furacão Irma volta a ganhar força e é elevado para categoria 5

Até o momento, não há informações sobre vítimas fatais na ilha, mas a defesa civil no país mantém o estado de alerta, com 155 brigadas prontas para agir em casos de emergência.

São ainda esperadas subidas de maré que podem chegar aos oito metros e existe o perigo de que a chuva faça transbordar o dique Herbert Hoover devido ao aumento do nível do lago Okeechobee.

O furacão Katia se fortaleceu nesta sexta-feira para categoria 2 na escala Saffir-Simpson e avança pelo Golfo do México na direção do estado de Veracruz no leste do México, informaram as autoridades.

O instrumento de medição do Instituto de Meteorologia cubano instalado em Esmeralda, Camagüey, se rompeu após registrar ventos de 200 km/h.

Além de Cuba, Irma já deixou sua marca em outras ilhas do Caribe - onde 21 mortes haviam sido registradas até a manhã deste sábado.

Três furacões estão a progredir em simultâneo no Atlântico, depois das tempestades José e Katia passarem a esta categoria, juntando-se assim ao Irma. Danos também foram provocados em fazendas e na rede elétrica.

O Irma encontra-se agora a 115 quilómetros de Key West, o ponto mais a sul dos Estados Unidos e move-se a nove quilómetros por hora. O local é obrigatório para evacação, por ordens do governo americano.

O Estado americano deve ser atingido na manhã de domingo, de acordo com o Centro Nacional de Furacões dos EUA. "Os ventos com força de furacão se estendem por 110 quilômetros do centro e ventos com força de tempestade tropical se estendem por 315 quilômetros".

Irma perde força, mas continua "extremamente perigoso", segundo autoridades. "Não é tarde para abandonar as Florida Keys". As operações de embarque e desembarque serão realizadas em Cozumel neste mesmo dia.

No sentido oposto, comboios militares se dirigiam ao sul com combustível para permitir que mais pessoas rumassem ao norte. Sendo que praticamente todo o Estado da Florida está sob alerta de furacão, o que afecta cerca de 36 milhões de pessoas. "Esta é a tempestade mais catastrófica que o estado já viu", sublinhou o governante.

Antes de partir, moradores protegiam suas casas instalando placas de madeira ou zinco, apesar de saberem que as medidas podem ser em vão.

O furacão Irma devastou várias zonas das Caraíbas, tendo provocado, pelo menos, 25 mortos, e arrasado com ilhas, como St. Martin, cujos relatos revelam que a passagem do furacão destruiu 95% da ilha.

Bahamas, vizinha de Cuba, escapou quase ilesa da tormenta.

"Cerca de 4,1 milhões de usuários ficarão sem eletricidade", adiantou o repórter.

Outro furacão, o José, também se formou no Oceano Atlântico e atravessa o Caribe.

Artigos relacionados