Exportações crescem 4,6%, importações quase o triplo

Exportações crescem 4,6%, importações quase o triplo

As exportações continuam a crescer menos do que as importações.

As importações aumentaram em julho 12,8% e as exportações 4,6%, em termos homólogos, revelou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE), agravando-se o défice da balança comercial para 1.057 milhões de euros.

Em comparação com o mês anterior, tanto importações como exportações abrandaram, já que em junho tinham subido 6,6% e 6,7%.

No trimestre terminado em julho de 2017, as exportações e as importações de bens aumentaram respetivamente 9,0% e 13,4% face ao período homólogo, acrescentou.

O INE também deu conta esta sexta-feira de uma revisão nos dados de 2016 para o comércio internacional e o resultado é pior que o assumido.

No total, as novas contas demonstram que o défice comercial - saldo entre o que foi vendido e o que foi comprado ao exterior pela economia portuguesa - terá sido superior em 401 milhões de euros ao que se pensava.

De acordo com o gabinete oficial de estatística, no caso das importações, os aumentos ocorreram em "todas as categorias económicas" em Julho passado, "destacando-se claramente", sublinha o INE, "o crescimento dos combustíveis e lubrificantes", que registaram uma progressão homóloga de 45,8%, para 629 milhões de euros. Sem combustíveis, a balança de bens também é negativa, mas em menor grau (-625 milhões de euros ).

O excedente da China com a União Europeia, o principal parceiro comercial do país, aumentou 14%, para 11,7 mil milhões de dólares (9,7 mil milhões de euros).

As exportações para Angola e França registaram os maiores aumentos face a julho de 2016.

O comportamento das exportações, que se deve maioritariamente a quedas nas vendas para dois dos principais parceiros comerciais de Portugal - Espanha e Reino Unido -, leva a um novo agravamento do défice comercial.

Em 2016, as exportações portuguesas de bens somaram 49,5 mil milhões, mas com a contribuição dos serviços (26,3 mil milhões) o prato exportador da balança comercial ficou nos 71,7 mil milhões.

As exportações avançaram para 4.668 milhões de euros, enquanto as importações dispararam para 5.724 milhões de euros.

Artigos relacionados