Enfermeiros em greve, manifestam-se em frente ao hospital — Castelo Branco

Enfermeiros em greve, manifestam-se em frente ao hospital — Castelo Branco

No Porto, José Azevedo, presidente do Sindicato dos Enfermeiros, fala de uma adesão que ronda os 85% a nível nacional, mas garante que a segurança dos doentes está salvaguardada.

De acordo com a informação avançada pela RTP3, Adalberto Marques Fernandes, ministro da Saúde, esteve reunido com o primeiro-ministro, no final do Conselho de Ministros extraordinário, para avaliar qual a posição que o Governo irá defender amanhã nas negociações com o sindicato.

O protesto decorre naquele que é o primeiro dia da greve nacional que decorre até à próxima sexta-feira, dia 15, e que foi convocada pela FENSE (Sindicato Independente dos Profissionais de Enfermagem - SIPE e pelo Sindicato dos Enfermeiros - SE).

Estes profissionais reclamam ainda a aplicação do regime das 35 horas semanais de trabalho a todos os enfermeiros.

Várias dezenas de enfermeiros do Serviço de Saúde da Região estão agora a realizar um protesto à entrada do Hospital Dr. Nélio Mendonça. No Hospital de Santa Maria, só havia autorização legal para as manifestações até às 11, mas os enfermeiros não arredam.

Durante o turno da noite, no Hospital de Faro, a adesão à greve foi de quase 100%, enquanto na unidade de Portimão perto de 90% dos enfermeiros aderiram à paralisação.

A greve dos enfermeiros, que reivindicam a introdução da categoria de especialista na carreira de enfermagem, poderá ter fim à vista.

Continuam os protestos dos frente a vários hospitais do país.

Uma circular da Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS) informou os hospitais que "eventuais ausências de profissionais de enfermagem neste contexto devem ser tratadas pelos serviços de recursos humanos das instituições nos termos legalmente definidos quanto ao cumprimento do dever de assiduidade".

Artigos relacionados