Em áudio, Joesley Batista combina gravação de Eduardo Cardozo, diz jornal

Em áudio, Joesley Batista combina gravação de Eduardo Cardozo, diz jornal

Em nota divulgada ontem (5), Joesley Batista e Ricardo Saud, delatores da empresa JBS, pediram "sinceras desculpas" aos ministros do Supremo e ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pelas citações indevidas em conversas gravadas por eles e entregues à PGR.

Para Fux, os dois delatores "ludibriaram" a Procuradoria Geral da República (PGR). Nesta segunda (4), o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, anunciou que mandou investigar se os executivos da JBS omitiram informações no acordo de delação premiada que firmaram com a Procuradoria Geral da República.

No plenário (veja no vídeo acima), o ministro também defendeu que os delatores deixem o "exílio novaiorquino" para ir ao "exílio da Papuda", em uma referência ao Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília. Nas novas gravações da JBS, Joesley e Saud conversaram sobre um plano para utilizar a influência de Cardozo junto ao Supremo Tribunal Federal (STF) para implicar ministros da Corte em irregularidades.

Após a repercussão do caso, os colaboradores afirmaram que as referências feitas aos ministros e a Janot "não guardam nenhuma conexão com a verdade". "Se tivesse ministros do Supremo no bolso, a presidente Dilma (Rousseff) ainda estaria no cargo", teria dito Cardozo.

Segundo a ministra, a investigação é necessária para que não haja dúvidas sobre a dignidade dos integrantes do Supremo.

Magistrado mais antigo do STF, o ministro Celso de Mello também criticou o conteúdo da conversa entre Joesley e Saud.

Artigos relacionados