Coreia do Norte dispara míssil sobre Japão e aumenta tensões

Coreia do Norte dispara míssil sobre Japão e aumenta tensões

O míssil caiu no Oceano Pacífico, a cerca de 2.000 km do Japão.

O míssil sobrevoou a ilha de Hokkaido às 7.06 horas de sexta-feira (23.06 horas em Portugal continental), precisaram as autoridades japonesas, que indicaram que o sistema de aviso J-Alert foi acionado em várias regiões do norte do arquipélago.

De acordo com o Comando do Pacífico (PACOM) americano, o artefato lançado pela Coreia do Norte era um míssil de médio alcance que não ameaçou o ameaçou os Estados Unidos nem seu território de Guam, no Pacífico, onde o país possui instalações militares estratégicas.

Os testes nucleares levados a cabo pela Coreia do Norte já foram discutidos em sede de reunião dos países que integram o Conselho de Segurança das Nações Unidas.

"Não podemos nunca tolerar que a Coreia do Norte pisoteie a decisão forte e unida da comunidade internacional rumo à paz, demonstrada nas resoluções da ONU, e insista neste ato ultrajante", disse Abe à imprensa em Tóquio.

O teste, a sexta explosão nuclear de Pyongyang, provocou uma condenação global e aconteceu depois do lançamento em julho de dois mísseis balísticos intercontinentais que pareciam ter condições de atingir parte do território dos Estados Unidos.

Questionada se Pequim considera necessárias novas ações, como resposta ao lançamento, Hua Chunying sublinhou os "enormes sacrifícios" feitos pelo seu país para resolver a crise na península coreana. Por meio do seu porta-voz, Guterres condenou o lançamento e pediu aos líderes do regime norte-coreano que parem com essas práticas.

A nova resolução prevê limitar as entregas de petróleo à Coreia do Norte a seu nível dos 12 últimos meses.

Em aplicação de sanções vigentes da ONU, o bloco europeu anunciou que impôs "uma proibição total de todas as exportações de carvão, ferro, minério de ferro, produtos pesqueiros, chumbo e minério de chumbo", ou seja, contra "as principais exportações" norte-coreanas.

O lançamento ocorreu às 6h57 da manhã desta sexta-feira (22h57 de quinta-feira em Lisboa), apenas um dia depois de o regime liderado por Kim Jong-un ter prometido afundar o Japão e reduzir a "cinzas e escuridão" os EUA.

Artigos relacionados