Com pornografia e zoofilia, exposição cancelada pelo Santander teve visita de crianças

Com pornografia e zoofilia, exposição cancelada pelo Santander teve visita de crianças

Conversei hoje no Agora/Rádio Guaíba, com o Mario Sérgio Cortella, filósofo e professor titular do Departamento de Teologia e Ciências da Religião e de pós-graduação em Educação da PUC-SP, sobre a decisão do Santander Cultural, encerrar 28 dias antes do previsto, a exposição Queermuseu - Cartografias da Diferença na Arte Brasileira.

Grupos de direita como o Movimento Brasil Livre (MBL), no entanto, acusaram a exposição de promover de "blasfêmia contra símbolos católicos" a até pedofilia e zoofilia, movidos apenas por uma questão ideológica.

Por conta das manifestações negativas, o Santander Cultural resolver cancelar a amostra e se desculpou em nota postada nas redes sociais.

"Reconhecemos que, além de despertar a polêmica saudável e o debate sobre grandes questões do mundo atual, infelizmente a mostra foi considerada ofensiva por algumas pessoas e grupos.Nós, do Santander, pedimos sinceras desculpas a todos aqueles que enxergaram o desrespeito a símbolos e crenças na exposição Queermuseu".

- É lamentável que essa onda conservadora, motivada por posições equivocadas e ignorantes, tenha forçado uma instituição cultural a tomar essa posição de fechamento de uma exposição que traz uma temática importante para se pensar o mundo hoje.

Em sua página no Facebook, o prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Júnior (PSDB), compartilhou a nota de esclarecimento do Santander Cultural e disse que a exposição "mostrava imagens de pedofilia e zoofilia".

Queermuseu tinha 270 obras assinadas por nomes como Leonilson e Lygia Clark, e curadoria de Gaudêncio Fidélis. Quando a arte não é capaz de gerar inclusão e reflexão positiva, perde seu propósito maior, que é elevar a condição humana.

"Essa decisão foi unilateral do Santander". Fiquei sabendo do cancelamento por um grupo de Whatsapp. "Eu não fui consultado em nenhum momento sobre isso e ninguém do Santander entrou em contato comigo ainda".

Entre as imagens mais compartilhadas, está a pintura de uma pessoa praticando sexo com um animal, além de desenhos de crianças com frases como "Criança viada travesti da lambada" e "Criança viada deusa das águas".

Desta vez, no entanto, ouvimos as manifestações e entendemos que algumas das obras da exposição "Queermuseu" desrespeitavam símbolos, crenças e pessoas, o que não está em linha com a nossa visão de mundo.

Na época em que a exposição foi anunciada, o Santander informava que "valoriza a diversidade e investe em sua unidade de cultura no Sul do País para que ela seja contemporânea, plural e criativa".

Um protesto pela defesa da liberdade de expressão artística e a manutenção da exposição deve ocorrer nesta terça-feira (12), em frente ao Santander Cultural, em Porto Alegre.

Artigos relacionados