China apoiará novas medidas da ONU contra Pyongyang — Coreia do Norte

China apoiará novas medidas da ONU contra Pyongyang — Coreia do Norte

O ministro de Relações Exteriores da China, Wang Yi, afirmou que o país apoia a ação da Organização das Nações Unidas (ONU) em resposta ao último teste nuclear realizado pela Coreia do Norte, mas ressaltou que é necessário iniciar um diálogo envolvendo todos os lados da questão.

Especialistas acreditam que o isolado regime está perto de seu objetivo de desenvolver uma poderosa arma nuclear capaz de atingir os Estados Unidos, o que Trump se comprometeu a impedir.

A Coreia do Sul está se preparando para um possível novo teste de míssil da Coreia do Norte, que comemora sua fundação no sábado, poucos dias depois de seu sexto e maior teste nuclear.

Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters.

As declarações de Wang acontecem depois que o presidente Xi Jinping manteve ontem à noite uma conversa telefônica com o presidente americano, Donald Trump, na qual o líder chinês pediu uma resolução ao conflito pela via pacífica.

No domingo, Pyongyang anunciou ter testado com sucesso uma bomba de hidrogénio.

O Exército sul-coreano elevou seu nível de alerta ao máximo diante da nova provocação do país vizinho, enquanto que Tóquio enviou aviões de reconhecimento das suas forças aéreas para medir possíveis variações nos níveis de radiotividade no ar.

Estados Unidos, Japão e aliados europeus apelaram a novas e duras sanções da ONU, mas a posição de Pequim e Moscovo, ambos com direito de veto no Conselho de Segurança, permanece incerta.

Também participam do evento o presidente da Rússia, Vladimir Putin, e o sul-coreano, Moon Jae-in.

A China, que representa 90% do comércio externo da Coreia do Norte, aprovou a sétima ronda de sanções da ONU contra o país, suspendendo as compras de ferro, chumbo e marisco norte-coreano.

Descarregue a nossa App gratuita.

Artigos relacionados