Briga de vizinhos pelo WhatsApp termina em morte no Distrito Federal

Briga de vizinhos pelo WhatsApp termina em morte no Distrito Federal

Uma discussão entre vizinhos através de um grupo no WhatsApp acabou resultando na morte do analista financeiro Adilson Santana Silva, 36 anos, no município de Samambaia, no Distrito Federal. O suspeito teve a prisão decretada pela Justiça no fim dessa sexta-feira (08), no entanto, está foragido.

Segundo a Polícia Militar (PM), a discussão começou por volta das 18h, quando o policial aposentado J.A.C. publicou uma foto com uma mancha branca que teria aparecido na janela de seu apartamento.

"Ô sem noção, que mora no 1803-A quando escovar seus dentes, vê se não cospe a meleca na casa dos outros, eu moro aqui no 1703-A e vir essa sujeira que cospiram lá de cima [sic]", escreveu José.

Em resposta à acusação, o vizinho negou ser autor do cuspe.

Revoltado, Adilson rebateu as acusações de maneira veemente, enviando diversas: "Meu amigo, tu tá ficando maluco, falando merda". Me respeite, que educação eu tenho. "Olha sua porra direito, não fale merda que você não sabe", rebateu. Não venha pra cá botar porra de grupo. "Suba aqui pra gente conversar", diz na gravação.

Ainda conforme a Polícia Civil, poucos minutos depois do ocorrido, a vítima enviou um outro áudio direcionado ao policial, pedindo para que ambos fossem resolver o ocorrido pessoalmente. Vizinhos escutaram barulhos de tiros. "Logo em seguida, entraram em luta corporal, momento no qual o seu José de Arimatéia sacou uma arma de fogo, e efetuou disparos contra a vítima", disse em entrevista ao DFTV. A mulher e o filho de 3 meses de Adilson presenciaram o crime. "Mas foi um negócio, assim, violento, e eu vi na hora que ele disparou a arma", escreveu a vizinha no grupo do WhatsApp.

Artigos relacionados