Três fogos em curso e dois em resolução mobilizam 1.434 operacionais — Incêndios

Três fogos em curso e dois em resolução mobilizam 1.434 operacionais — Incêndios

O mesmo aconteceu com várias habitações na aldeia de Cabeça Gorda.

Para além do já referido incêndio em Cantanhede, há outro fogo em Montemor-o-Velho, também no distrito de Coimbra. "Está medonho", disse à agência Lusa o presidente do município, Jacinto Lopes, referindo que "há casas em risco".

"Mantemos todos os meios de reforço no terreno no sentido de conseguir responder e apoiar estas situações, mantemos o nível de alerta laranja para todos os distritos", acrescentou a responsável, dando conta também da situação em Tomar, onde lavra um incêndio "já muito ativo" e com "algumas situações críticas em termos de aldeias e pequenas localidades que se concentram na área de propagação e desenvolvimento" do fogo, com "áreas onde se encontram evacuações em curso ou onde são previsíveis nas próximas horas". À hora de publicação desta notícia, a A14 ainda estava cortada, assim como a circulação na A13, entre Cabaços e Alvaiázere, que foi cortada pelas 22h.

Em Cinfães, distrito de Viseu, o incêndio, que tinha sido dado como dominado ao início da madrugada, reacendeu-se, mobilizando, pelas 05:15, um total de 38 operacionais e nove viaturas no combate a uma frente. Em declarações à Lusa, o tenente-coronel Silva Ferreira informou que pelas 17h foi encerrado o trânsito dos dois sentidos da A3, entre a Maia e santo Tirso, devido aos incêndios florestais que deflagraram na zona da Trofa e Maia.

Às 19h00 a proteção civil destacava os incêndios de Cantanhede, Mealhada e Tomar que contravam mais de 700 bombeiros.

Quase 600 militares e 116 viaturas estão também a ajudar no combate aos incêndios, em missões de apoio à Proteção Civil, Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) e diversos municípios, anunciou o Exército.

Artigos relacionados