Nove incêndios em sete distritos, dos quais seis em curso

Nove incêndios em sete distritos, dos quais seis em curso

Os restantes fogos, considerados como "em resolução", situam-se nos concelhos de Cinfães, Cantanhede e Abrantes.

Este incêndio, que mantinha várias frentes pelas 05:15, destruiu pelo menos uma casa de primeira habitação, provocando dois desalojados na aldeia da Lata, no concelho de Miranda do Corvo, disse o presidente da Câmara, Miguel Baptista, à agência Lusa, na noite de sábado.

"Há suspeitas de que haja atuação criminosa", vincou a autarca, considerando que o próprio combate ao fogo foi mais complicado face à necessidade de dispersão dos meios para combater focos de incêndio que iam surgindo "em vários pontos do concelho".

No distrito de Coimbra foi mesmo ativado o Plano Distrital de Emergência, segundo informações avançadas no habitual ponto de situação feito às 18h por Patrícia Gaspar, adjunta de operações da Protecção Civil.

Por volta das 18h30, deu ainda conta a porta-voz da Proteção Civil, foi ativado o plano de emergência da Proteção Civil do distrito de Coimbra. E ainda um terceiro incêndio em Pombal, distrito de Leiria.

Ao todo, nesta altura, há "18 incêndios ativos em todo o país" que estão a ser combatidos por três mil operacionais, apoiados por 27 aeronaves. A A14 também esteve cortada ao trânsito, na quinta-feira, a partir das 18:00 e durante cerca de quatro horas, igualmente por falta de condições de segurança, resultante então de um fogo que tinha deflagrado, ao final da manhã, na zona de Barcouço (Mealhada). Apesar de estar em fase de resolução (sem "perigo de propagação para além do perímetro já atingido"), continua a mobilizar o maior número de meios: estavam no terreno 412 operacionais e 137 viaturas, de acordo com os dados da Proteção Civil atualizados às 05:15. "Está medonho", disse à agência Lusa o presidente do município, Jacinto Lopes, referindo que "há casas em risco".

Artigos relacionados