Focus mostra PIB estável em 2017, revela BC

Focus mostra PIB estável em 2017, revela BC

A taxa de câmbio foi revista para baixo, para R$ 3,25, ante R$ 3,30 na semana anterior.

Já no caso de 2018, a projeção dos economistas do Focus para o câmbio no fim do ano caiu de R$ 3,43 para R$ 3,40. Já a projeção para o índice de 2018 seguiu em 4,2%, ante 4,25% de quatro semanas atrás. A margem de tolerância para estes anos é de 1,5 ponto porcentual (inflação entre 3% e 6%). Levando em conta as expectativas do mercado, a taxa de juros reais ex-post passaria para 4,05% neste ano e 3,30% em 2018. Parte deste reajuste levou ao aumento das projeções para o IPCA nas últimas semanas.

Entre as instituições que mais se aproximam do resultado efetivo do IPCA no médio prazo, denominadas Top 5, a mediana das projeções para 2017 passou de 3,10% para 3,31%. Para 2018, a estimativa foi de 4,19% para 4,06%. Para 2018 a taxa ficou em R$ 3,40.

Já a inflação suavizada para os próximos 12 meses foi de 4,4% para 4,52% de uma semana para outra - há um mês, estava em 4,46%. No caso de agosto, a previsão de inflação do Focus foi de 0,25% para 0,3%, ante 0,25% de quatro semanas atrás.

No Focus agora divulgado, a Selic média de 2017 passou de 10,06% para 9,98% ao ano.

A abertura dos dados do Relatório de Mercado Focus mostra que a mediana da Selic em setembro está em 8,38% ao ano. Já em 21 de julho foi a vez de o Ministério do Planejamento manter em 0,5% sua projeção para o PIB este ano, conforme o Relatório de Avaliação de Receitas e Despesas do 3º Bimestre.

No dia 20, o governo anunciou elevação da alíquota de PIS/Cofins sobre a gasolina, o diesel e o etanol. Quando o Copom aumenta a Selic, a meta é conter a demanda aquecida, e isso gera reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

No último RTI (Relatório Trimestral de Inflação), publicado em 22 de junho, o BC projetava alta de 5,9% para os preços administrados em 2017 e avanço de 5,5% em 2018.

Artigos relacionados