Chamas entraram numa localidade de Ferreira do Zêzere

Chamas entraram numa localidade de Ferreira do Zêzere

"Não temos propriamente aldeias evacuadas, temos várias localidades que foram evacuadas parcialmente, naquelas onde as pessoas quiseram sair", declarou à Lusa Jacinto Lopes, acrescentando que esta retirada da população aconteceu em "seis a sete localidades".

"O incêndio continua ativo, com quatro frentes, e temos no local 268 homens, 105 viaturas e seis meios aéreos ao serviço".

O mesmo em Alvaiázere, distrito de Leiria, Ferreira do Zêzere, em Santarém e Tomar, no mesmo distrito.

Quarenta feridos e dezenas de pessoas retiradas das suas casas desde que o fogo em Abrantes começou, na quarta-feira, é o balanço feito pela Proteção Civil, que revela que o incêndio em Tomar foi dado como dominado às 12h30.

"Há suspeitas de que haja actuação criminosa", vincou a autarca, considerando que o próprio combate ao fogo foi mais complicado face à necessidade de dispersão dos meios para combater focos de incêndio que iam surgindo "em vários pontos do concelho".

Em declarações à agência Lusa, a presidente da Câmara de Alvaiázere, Célia Marques, realçou que os focos de incêndio que foram sendo registados durante a noite e manhã no concelho "surgiram em sítios completamente opostos", rejeitando a possibilidade de terem sido resultado de projecções.

O fogo de Abrantes foi dado como controlado no mapa da Proteção Civil pouco antes do meio-dia.

No distrito de Santarém, são duas as maiores preocupações.

Em Tomar, no mesmo distrito, 216 operacionais estavam no terreno a lutar contra o incêndio, ativo desde a tarde de sábado. Espanha foi o primeiro país a enviar ajuda para Portugal, tendo chegado ao nosso país três meios aéreos e dois módulos terrestres, afirmou Patrícia Gaspar, adjunta nacional de operações da Autoridade Nacional de Proteção Civil, ao Notícias ao Minuto.

Artigos relacionados