Plebiscito contra Maduro está sendo votado hoje na Venezuela

Plebiscito contra Maduro está sendo votado hoje na Venezuela

A oposição esperava que o comparecimento fosse maciço para exigir que Maduro convoque eleições presidenciais antes do fim de seu mandato, no início de 2019.

Por outro lado, Throssel referiu a consulta simbólica que a oposição venezuelana realiza no domingo e que inclui perguntas sobre se apoiam a Assembleia Constituinte convocada pelo Presidente Nicolás Maduro, para reescrever a Constituição venezuelana.

Já o secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Almagro, convidou os venezuelanos a participar da "consulta popular para deter o colapso definitivo da institucionalidade do país".

"Aparentemente, há duas pessoas mortas", disse ele a jornalistas. Os organizadores tinham expressado temores de possíveis atos de violência dos chamados "coletivos", grupos chavistas às vezes armados que atacaram a Assembleia Nacional (AN, Parlamento), de maioria opositora, ferindo vários deputados no dia 5. Entre 9h e 17h, a urna estará instalada no Estacionamento 10 do Parque da Cidade Sarah Kubitschek.

O referendo improvisado teve uma grande adesão fora da Venezuela, com mesas de voto espalhadas por mais de 100 países em todo o mundo. Foram montados 14.300 pontos para receber votos na Venezuela e mais 500 em outros países, incluindo o Brasil. "Os números de pessoas aptas à consulta no exterior não são muito precisos, pois a diáspora venezuelana chega ao Brasil numa condição bastante precária".

Segundo o nota consular, "a presidente do CNE anunciou também um conjunto de medidas técnicas, organizacionais e logísticas para garantir o direito ao sufrágio, e informou que se articulou com a Força Armada Nacional Bolivariana e Tribunal Supremo de Justiça e Defesa do Povo as acções pertinentes para garantir o direito político" dos venezuelanos. A Venezuela tem cerca de 2,8 milhões de funcionários públicos, uma considerável parte da sua população de 30 milhões de pessoas. Eles rejeitam a assembleia constitucional?

Maduro disse que o plebiscito é ilegal e não tem sentido. A oposição considera a consulta uma "provocação". "Há violações dos direitos humanos, torturas, desaparecimentos, presos políticos e uma imigração assustadora, além do assassinato de jovens".

Artigos relacionados