EUA: Senado convidará filho de Trump a depor sobre contatos russos

EUA: Senado convidará filho de Trump a depor sobre contatos russos

"Quanto ao que respeita ao meu filho, é um jovem homem maravilhoso".

Nas mensagens, o produtor musical britânico Rob Goldstone, que trabalha para os empresários Emin e Aras Agalarov, próximos ao Kremlin, lhe oferece "documentos e informações oficiais que incriminariam Hillary e os negócios dela" no país como parte de um "esforço do governo russo para ajudar Trump". "Foi uma reunião breve", assegurou, durante uma conferência de imprensa conjunta com o Presidente francês, Emmanuel Macron.

Em resposta às acusações sobre a reunião com uma advogada russa alegadamente portadora de informações comprometedoras sobre Hillary Clinton, Trump disse que Trump Jr é "um jovem homem maravilhoso".

"De um ponto de vista prático, penso que a maior parte das pessoas teria aceitado esta reunião", acrescentou. Depois disso, eles agendaram um encontro em 9 de junho daquele ano em Nova York entre Trump Jr. e Veselnitskaia, descrita por Goldstone como "advogada do governo russo".

Os e-mails mostram que foi dito a Trump Jr. que o governo russo tinha informações que podiam "incriminar" a candidata do Partido Democrata, relativamente aos seus contactos com a Rússia.

Em Hamburgo, o líder russo disse acreditar que já estabeleceu uma relação pessoal com Trump, acrescentando que "o Trump da TV é muito diferente da pessoa na realidade".

"Se é isso que diz, adoro", respondeu Trump Jr.

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse nesta sexta-feira que espera continuar dialogando com seu colega norte-americano, Donald Trump, depois de seu encontro bilateral em Hamburgo durante a cúpula do G20 neste mês. O senador democrata Tim Kaine, que era o candidato à vice-presidência disse na terça-feira que a investigação à eventual interferência russa nas eleições presidenciais de 2016 está a "ir além" de possível obstrução à Justiça e pode chegar a algo que "potencialmente é traição".

Artigos relacionados