Situação em Góis é grave e pode passar a ser gravíssima

Situação em Góis é grave e pode passar a ser gravíssima

Fonte oficial do Ministério da Administração Interna (MAI) adiantou à agência Lusa que 40 bombeiros da Galiza chegam a Portugal por via terrestre e outros 40 operacionais de várias regiões espanholas por helicóptero.

Ainda assim, disse não ter mais informações.

Cortes de Alvares, Fonte dos Sapos, Esteriana, Mega Fundeira e Mega Cimeira são as povoações isoladas da freguesia de Alvares, na zona de fronteira dos municípios de Góis e de Pampilhosa da Serra, no distrito de Coimbra, e de Pedrógão Grande e de Castanheira de Pera (distrito de Leiria), ameaçadas pelo incêndio, disse a presidente da Câmara de Góis.

O número de incêndios a lavrar em Portugal tem aumentado nas últimas horas, registando-se pelas 15h30 de hoje um total de 40 fogos florestais, mobilizando 2.816 operacionais, auxiliados por 928 viaturas e 24 meios aéreos, segundo a Proteção Civil.

Embora compreenda que não possam existir muitos mais meios envolvidos no combate às chamas, Lurdes Castanheira lamenta que não sejam disponibilizados mais meios de luta contra o fogo, designadamente aéreos.

"Góis é uma situação preocupante, o incêndio está a lavrar com grande intensidade e a ser objeto de análise muito particular", afirmou no segundo balanço do dia feito no posto de comando instalado em Avelar, no concelho de Ansião, em Leiria.

19h15 - O secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes, confirmou à imprensa que nenhum aparelho aéreo ao serviço do Estado português caiu, desmentindo a informação que circulava esta terça-feira à tarde.

Entretanto, as chamas continuam a não querer ceder em Pedrógão Grande, onde foram contabilizadas até ao momento 64 vítimas mortais e 160 feridos, seis deles em estado grave.

Em Góis, cerca de 30 pessoas que habitam na aldeia de Cadafaz foram evacuadas no início da manhã pela Guarda Nacional Republicana (GNR), devido à aproximação de uma frente de fogo, noticiou a RTP.

A responsável disse ainda que 56 idosos tiveram de ser retirados do lar que frequentam em Cabreira. Durante a madrugada, por volta das 04h00, a aldeia de Braçal, no concelho de Pampilhosa da Serra, teve de ser evacuada "por precaução", retirando 15 pessoas daquela localidade, acrescentou fonte do CDOS de Coimbra.

Artigos relacionados