Portugal é o terceiro país mais pacífico do mundo

Portugal é o terceiro país mais pacífico do mundo

O relatório contém dados relativos a conflitos que se encontram a decorrer a nível interno e internacional, segurança em sociedade e o nível de militarização em 163 países e territórios. E Islândia, Nova Zelândia e Portugal são os três primeiros classificados da lista de países mais pacífica à escala global.

O Global Peace Index (Índice Global de Paz - GPI) 2017, realizado pelo Instituto para a Economia e Paz (IEP), sediado em Sydney, indica que a pontuação de Portugal subiu duas posições para o terceiro lugar do ranking, consolidando assim a sua posição como um dos países mais pacíficos do mundo.

Foram 93 os países que registaram melhorias em termos de paz, enquanto em 63 estados a paz deteriorou-se, como, por exemplo, nos Estados Unidos, que vivem uma turbulência política tanto a nível doméstico como exterior. Ainda assim verifica-se uma melhoria da paz mundial. impulsionada pelos níveis mais baixos de terror patrocinados pelos Estados, menos execuções extrajudiciais e tortura, e a retirada prévia de forças militares do Afeganistão. A lista dos cinco países menos pacíficos é composta pelo Afeganistão, o Iraque, o Sudão do Sul e o Iémen.

À frente de Portugal posicionaram-se a Islândia (líder desde 2008) e a Nova Zelândia.

A ajudar a esta realidade, no que a Portugal diz respeito, está também a recuperação económica do país, que permite mais estabilidade social. A América do Norte teve uma das maiores quedas neste grau de pacifismo - caiu 22 lugares para o 114º lugar, por causa dos conflitos internos, do terrorismo e da criminalidade.

Steve Killelea, fundador e presidente-executivo da IEP, considera que "as condições subjacentes ao aumento da desigualdade, o aumento da corrupção e a menor liberdade de imprensa contribuíram para este declínio dos EUA, resultando também na diminuição global da paz na América do Norte".

Segundo as contas apresentadas nesta 11ª edição do GPI, o número de países atingidos por um enorme número de morrer por terrorismo cresceu para os 23, assinalando uma nova marca.

Os planos para a paz mundial melhoraram em 2017, apesar de um declínio notável nos EU e instabilidade politica Europeia.

Artigos relacionados