Papa canoniza Jacinta e Francisco, os pastorinhos de Fátima

Papa canoniza Jacinta e Francisco, os pastorinhos de Fátima

"O papa Francisco chega como peregrino", repete António Marto, o bispo de Leiria e Fátima e responsável pela organização da visita, que impôs as autoridades a restabelecerem o controle fronteiriço por quatro dias, a fecharem o espaço aéreo e a blindarem os acessos ao santuário e às aldeias vizinhas. O especial Fátima - 100 anos das aparições traz uma peregrinação de Nadja Rodrigues ao santuário de Fátima. Numa das publicações a apresentadora de "A Tarde é Sua" escreve: "Que emoção!" Os pequenos pastores, humildes e analfabetos, morreram de gripe espanhola aos dez e nove anos, respectivamente, alguns anos depois de terem visto em 1917 seis aparições da mãe de Jesus.

Os apresentadores do programa da manhã da estação de Queluz de Baixo partilharam, também eles, algumas imagens da sua presença no Santuário de Fátima.

Em seguida, Francisco partirá de helicóptero para Fátima, 40 km ao nordeste.

Os registros da Igreja Católica tratam de três crianças - Lúcia dos Santos (10 anos) e os irmãos Francisco Marto (9 anos) e Jacinta Marto (7 anos) - que cuidavam de rebanho de ovelhas.

Desde 2008, o Vaticano pretende beatificar Lucia dos Santos, que se tornou freira e faleceu em 2005. Ela fica o dia inteiro rezando o rosário como pediu Nossa Senhora. O papa Francisco pediu aos católicos que tomem o exemplo dos irmãos Marto e tirem força de Deus, mesmo quando a adversidade os atingir. "Não vos considereis apenas receptores de solidariedade caritativa, mas senti-vos inseridos a pleno título na vida e missão da Igreja", disse o Papa aos doentes.

Conforme o relato do casal, Lucas sofreu um grave traumatismo craniano depois de cair de uma janela em 3 de março de 2013, quando tinha cinco anos.

Após sua chegada, Francisco seguirá para a "Capelinha das Aparições", construída no local onde, segundo a crença popular, a Virgem apareceu pela primeira vez, em 13 de maio de 1917, aos três pastorzinhos.

Os relicários com forma de âmpola de vidro continham uma mecha de cabelo de Jacinta e um pedaço de osso da costela de Francisco e foram colocados no altar por Angela Coelho, a postuladora da causa da canonização, e por Pedro Valinho, assessor da postulação e actual director do Serviço de Peregrinos do Santuário. Eles se converteram em santos por terem feito um milagre e não por serem considerados mártires. Depois que seu pais invocaram os pastores, segundo contaram em Fátima, Lucas se curou rapidamente.

"Para nós foi fantástico, mas estávamos à espera de mais pessoas", disse à agência Lusa Ana, funcionária de uma loja na Cova da Iria, sublinhando que no dia 11, quinta-feira, vendeu-se tanto "como a 12 de 2016", o dia em que começa a peregrinação de maio. "Se recuperou totalmente, sem sequelas", assegurou seu pai, acrescentando que "os médicos, incluindo os que não creem, não puderam explicar essa recuperação".

Artigos relacionados